Entenda as vantagens da realização de um laudo a distância para seu centro de diagnóstico e diagnósticos.

 

Sabia que o hábito de trazer os novos recursos da tecnologia de comunicação para a área da saúde não é uma novidade do século XXI? Inclusive, uma das primeiras referências à telemedicina na literatura especializada fica por conta de um artigo publicado ainda na década de 1950, que descrevia a transmissão de imagens radiológicas por telefone. Passado mais de meio século, a telemedicina se tornou uma ferramenta imprescindível para reduzir os custos de assistência médica, mitigar as chances de erros e levar os serviços de saúde de excelência a localidades mais afastadas dos grandes centros.

Nessa perspectiva, vale a pena destacar que, de acordo com um recente estudo realizado pelo instituto de pesquisa BCC Research, esse mercado foi avaliado em 11,6 bilhões de dólares em 2011, com estimativa de crescimento anual de 18,6% até 2016, alcançado investimentos totais de 27,3 bilhões de dólares em todo o mundo. Na medicina diagnóstica, a saúde digital tem remodelado os paradigmas de emissão, análise e desenvolvimento de laudo a distância, em um processo de revolução que você irá compreender a partir de agora. Então acompanhe:

 

Por que laudo a distância?

De acordo com um levantamento recente feito pelo IBGE, os pacientes da atenção básica de 52,9% das cidades brasileiras precisam fazer exames em outros municípios. A precária prestação de assistência à saúde em diversos pontos do território nacional impede milhões de cidadãos de tomarem cuidados preventivos de forma regular, bem como de terem acesso aos exames laboratoriais e de imagem necessários para diagnosticar patologias em seu estágio inicial, ainda em tempo de tratamento adequado.

Com a disseminação da tecnologia em nuvem voltada para área da saúde, o armazenamento de imagens, prescrições, anamneses e demais registros clínicos é feito em um servidor remoto, fora da infraestrutura física do centro de diagnóstico. Isso permite que profissionais especializados, normalmente localizados nos grandes centros urbanos, possam emitir laudos para centros de diagnóstico, hospitais e setores de diagnóstico por imagem sediados em regiões mais afastadas, oferecendo prestação de assistência à saúde de excelência a um custo menor e sem que os cidadãos tenham que se deslocar de onde moram.

 

Quais as possibilidades de melhoria dos serviços?

Apesar de ser bastante comum no universo corporativo e de seu ótimo custo-benefício vir estimulado cada vez mais instituições de saúde a aderirem a esse recurso, o armazenamento de registros clínicos e imagens em nuvem ainda é recente no país. Além da elevação da qualidade no serviço prestado, já que profissionais de ponta podem trabalhar a distância com as imagens geradas, bem como a maior velocidade na emissão de laudos, tendo em vista que o profissional pode emitir laudos de qualquer local com acesso à internet, a redução de custos às instituições de saúde também é um benefício bem relevante para ser desprezado.

Por meio da telemedicina, tanto o hospital como o centro de diagnóstico ou o setor de diagnóstico por imagem ganham elasticidade e escalabilidade, já que podem aumentar o número de procedimentos realizados sem ter como contrapartida a necessidade de ampliação de sua infraestrutura física ou do seu corpo de colaboradores.

 

Como isso se dá na prática?

Imagens de raio-x, tomografia, ultrassom, ressonância ou mamografia: independentemente da natureza do procedimento, o profissional pode ajustar as configurações da imagem pela internet (como brilho, contraste, sombra e tamanho, por exemplo), sem o prejuízo logístico dos exames em filme. Tem-se assim maior qualidade de imagem, muito mais velocidade e envio simultâneo do documento ao paciente e ao especialista, de forma digital, por meio de um link direto.

Vale a pena lembrar também que as melhores soluções do mercado permitem ainda a emissão de laudos com reconhecimento de voz, o que acrescenta ainda mais velocidade na emissão de cada documento médico, aumentando significativamente a produtividade dos profissionais.

No dia a dia, podemos resumir as vantagens da adoção dos recursos em nuvem e dos softwares para a realização de laudos a distância como as seguintes:

– Menor custo com infraestrutura;
– Aumento da qualidade na prestação de assistência à saúde;
– Maior velocidade na emissão de laudos e realização de diagnósticos;
– Redução dos erros médicos;
– Mais praticidade aos profissionais de saúde;
– Segurança no acesso às informações, com senhas criptografadas e assinatura digital, por exemplo;
– Compartilhamento de situações clínicas complexas com outros profissionais de saúde, simulando os debates médicos na sala de reuniões da instituição;
– Dispensa de estações de trabalho para analisar exames, bastando para isso ter em mãos um smartphone ou tablet com acesso à internet;
– Acesso a uma assistência à saúde de excelência nas regiões mais afastadas do país, reduzindo distâncias geográficas.

 

É preciso investir nessa novidade?

Os dispositivos móveis vêm consolidando sua importância no acesso à internet no Brasil de tal forma que, recentemente, comprovou-se que o país alcançou a marca de 50% dos domicílios com acesso à rede. A mesma pesquisa revelou que 81,5 milhões de brasileiros navegam na internet pelo celular, o que mostra o poder da mobilidade no comportamento do novo perfil da população brasileira. E as instituições de saúde não podem ignorar essa revolução, trazendo para dentro de seus consultórios a transformação social que eclode do lado de fora. É preciso incorporar as inovações tecnológicas a favor da vida.

Ainda há, entretanto, muito a ser feito por aqui. Um estudo já mostrou que apenas 15% dos hospitais, centros de diagnóstico e setores de diagnóstico por imagem brasileiros são informatizados, enquanto em países como Estados Unidos esse percentual alcança impressionantes 85%.

Laudo a distância, soluções integradas de Radiology Information System (RIS) e Picture Archiving and Communication System (PACS), Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP) e tecnologia vestível (wearables): esses são apenas alguns dos recursos que chegam à área da saúde para reduzir custos, melhorar a eficiência nos serviços prestados e otimizar o fluxo dos processos internos nas instituições. As aplicações da telemedicina, por exemplo, são extremamente amplas, abrangendo desde o primeiro contato entre médico e paciente, passando pela investigação para fixação de diagnóstico e pela análise de imagens até chegar ao tratamento clínico a distância.